Atualidades

Multas de trânsito mais caras em novembro

A partir do mês de novembro, o motorista que se recusar a passar pelo teste do bafômetro, ou qualquer exame que detecte a influência de álcool ou drogas, passa a pagar multa de R$ 2.934,70, terá a carteira de habilitação suspensa por doze meses e o veículo retido. A mudança, que aumenta em 53% o valor atual é prevista na Lei Federal 13.281/16 sancionada neste mês.

“Com mais rigor, esperamos que os motoristas evitem beber e dirigir. Investimos pesado em campanhas educativas, mas infelizmente os resultados ficam abaixo do que precisamos. Então, a Lei aumenta os valores para que pese no bolso do condutor e, quem sabe, mude o comportamento”, destaca o diretor-geral do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran/PR), Marcos Traad.

A Lei Seca, que entrou em vigor há mais de sete anos, determina que o condutor que apresentar nível igual ou superior a 0,3 miligramas de concentração de álcool no teste do bafômetro pode ser preso. Neste caso, o motorista comete crime de trânsito e deve ser encaminhado à delegacia. Se o motorista se recusar a fazer o teste, o agente de trânsito ainda pode fazer a comprovação da embriaguez através de testemunhas, vídeos e sintomas evidentes como hálito, sonolência e agressividade.

Estatísticas

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), dirigir sob influência do álcool ou embriagado corresponde a 10,1% dos acidentes com mortes nas rodovias federais no Paraná. O levantamento concluído em 2015 revela que essa é quarta maior causa de acidentes, ficando atrás apenas de velocidade incompatível (31,2%), falta de atenção (28,5%) e desobediência a sinalização (11,2%).

No primeiro trimestre de 2016, foram registrados 193 acidentes, deixando 108 pessoas levemente feridas, 30 graves e 14 acabaram em óbitos. Até a primeira semana de maio deste ano, 239 pessoas foram presas por embriaguez nas rodovias paranaenses.

Celular

Também a partir de novembro, dirigir segurando ou manuseando o celular será considerado infração gravíssima de trânsito, sujeito a multa de R$ 293,47, mais sete pontos na carteira de habilitação. As penalidades mais rigorosas são uma tentativa de diminuir o uso do aparelho pelos motoristas enquanto estão ao volante e, assim, reduzir também o risco de acidentes causados pela falta de atenção.

Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), considera que dirigir usando o celular é infração média, com multa de R$ 85,13, e quatro pontos na carteira do condutor.

Nos últimos quatro anos, o Detran/PR registrou um aumento de 4% no número de multas aplicadas pelo uso do aparelho de telefone no Estado. Curitiba, lidera o ranking, com 21% de crescimento das autuações, seguido por Maringá, com 14% de aumento. Já as cidades de Londrina e Cascavel tiveram queda nas multas, 27,5% e 8%, respectivamente.

*Com informações da assessoria do Detran/PR.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s